Review Moto G5 Plus – Um intermediário Plus

Este deve ser um grande ano para a Motorola, já que 2017 recém começou e já temos dois lançamentos para falar. Um deles, o Moto G5 Plus está aqui ao meu lado enquanto escrevo este review. O Moto G5 Plus é mais um smartphone que foge da classificação intermediária e passa a habitar uma zona entre os intermediários e os “tops”. Seu principal concorrente é o Zenfone 3, da Asus. Então, vale desembolsar R$ 1499,00 por um smartphone que ganhou características premium?

Design e construção

Já falamos disso na notícia de lançamento e também nas primeiras impressões do aparelho (ambas com vídeo), mas se você ainda não viu vacilão eu refresco, a Motorola fez uma pesquisa mundial – incluindo o Brasil – para saber o que os usuários esperam de um novo smartphone. A primeira resposta é a mais óbvia: um aparelho top com preço baixo.

Partindo deste pressuposto, é preciso avaliar o que caracteriza um smarphone para ser considerado Premium. Das informações levantadas, uma das mudanças mais drásticas foi a troca do polietileno pelo metal. Isso mesmo, depois de quatro gerações de aparelhos com tampa removível e uma alta gama de personalização, a Motorola trouxe ao mundo um Moto G de metal por inteiro e em apenas duas cores (prata e dourado).

Na prática, o usuário perde o poder de personalização – na terceira geração dava até para colocar algo escrito na traseira, via Moto Maker – porém ganha, de fato, um smartphone de aparência mais sofisticada. A pegada está suavizada graças às curvaturas nas arestas, junto de uma diminuição singela no tamanho do display, que agora tem 5,2”.

O design da câmera sofreu mudanças também e ficou ao estilo Moto Z, dentro de um anel sobressalente que acentua ainda mais a disparidade na superfície traseira. O medo de bater o arranhar o vidro de proteção é constante.

Como a tampa traseira não está mais disponível para remoção, é impossível acessar a bateria sem a ajuda de ferramentas e o Moto G5 Plus ganhou uma gaveta não-híbrida para acomodar dois Nano-SIMs e ainda um cartão de memória de até 256GB.Se você possui um Moto G4 Plus e vai comprar um Moto G5 Plus, certamente vai estranhar a ordem dos botões laterais. Como estava usando juntamente a quarta geração quando recebemos a quinta, perdi a quantidade de vezes que pressionei o botão de volume para ligar a tela e também quando pressionei o botão de bloquear quando queria baixar o volume.Na parte da frente mais mudanças, o alto-falante ficou menor e ganhou a companhia da inscrição “moto” abaixo. Mas a grande inovação está mais abaixo, no sensor de impressões digitais. Ele está maior e mais inteligente, côncavo para baixo, suavizando a superfície frontal. O sensor também ganhou novas funções – mas vamos falar delas lá no software.O display perdeu em polegadas mas ganhou espaço. Será que dá para entender? Veja a imagem abaixo e tente notar a diferença:

Hardware e desempenho

Se na quarta geração citei a extrema semelhança entre a versão normal e a Plus do Moto G (veja em Moto G4 ou G4 Plus – Vale a pena comprar?), com a quinta geração o negócio é diferente. E versão Plus ganhou mesmo uma potência a mais além da câmera e da bateria. O G5 Plus vem equipado com um Qualcomm Snapdragon 625, 2GB de memória RAM, 32GB de armazenamento interno e 3000 mAh de potência na bateria. Veja abaixo o comparativo com seu irmão menor.

Como já temos comentado nas últimas lives que fizemos de primeiras impressões do Moto G5 Plus, Zenfone 3 Zoom e também do lançamento do Galaxy S8, o Snapdragon 625 se consolidou como, talvez, a melhor opção para smartphones que buscar rendimento bom com pouco dano à bateria. Aparentemente é isso que faz o modelo ser aplicado em tantos aparelhos, inclusive em lançados este ano.

Na comparação com o Zenfone 3, por exemplo, o Moto G5 Plus não fica devendo em praticamente nada (na teoria), jogando para ao apelo emocional e subjetivo para a melhor escolha. Se você gosta da Motorola ou do sistema quase sem interferência da marca, terá tranquilamente um bom smartphone nas mãos. Agora, se quer mudar e apostar numa marca que entrou muito bem no mercado brasileiro e oferece ótimos smartphones com preço abaixo da média, a Asus também terá excelentes opções para você.

https://www.oficinadanet.com.br/smartphones/zenfone-3A turma que acompanha o Oficina da Net me pediu para testar o G5 Plus jogando o “Pesadãão” GTA San Andreas. Comprei-o e o coloquei para rodar. Tudo no máximo e voilá. Nenhum travamento ou queda de fps. 😉

Nos testes de benchmark uma surra aconteceu. Em relação ao Moto G5 tradicional, mais de 20 mil pontos no AnTuTu. Foram 63932 pontos contra 62521 do Zenfone 3, 45594 do Moto G5 e 45548 do Moto G4 Plus.

No evento que a Motorola fez em Porto Alegre, foi perguntado se os 2GB de memória RAM não poderiam ter sido 3GB, a resposta foi que a soma do hardware, Software e toda a otimização possível era suficiente com 2GB de RAM e também suficiente com a bateria de 3000 mAh.

Na prática, pelo menos com 15 dias de uso está tudo dando certo. Algumas funções do Moto Gestos – como ligar a lanterna ou a câmera através de gestos de punho – funcionam rapidamente. Diferente do Moto G4 Plus, que demora certa de 2 segundos para ligar a câmera. Ao ligar a lanterna então, se você fizer o movimento rápido, a lanterna liga antes de completar o segundo movimento. 😉

Display

O Moto G5 Plus possui um display IPS de 5,2” muito bom, com ótima capacidade de iluminação e sem qualquer pixel ‘solto’ na tela. Apesar de ser menor (Moto G4 Plus tem 5,5”), acho 5,2 um tamanho praticamente perfeito, nem muito grande, nem muito pequeno.

Armazenamento

Considerado ideal para os dias atuais, o Moto G5 Plus vem com 32GB de armazenamento interno, além disso, o usuário pode inserir um cartão de memória de até 256GB para complementar este espaço.

Bateria

Como dito antes, mesmo melhorando outros componentes de hardware a Motorola achou suficiente manter os 3000 mAh de potência que já vinham na quarta geração. E, a princípio, acertou. Nos testes de dia a dia, o smartphone não descarregou a bateria por completo em nenhum dia; ao deitar para dormir, sempre tive mais de 30% de bateria. Inclusive, no dia que não fiz recarga à noite para gravar o carregamento no dia seguinte, tive de estressar a bateria no trabalho para que ela drenasse com mais rapidez.

Câmeras

Tive um tempo precioso para usar a câmera do Moto G5 Plus e podemos falar bem das features que a câmera pode oferecer. O software é o mesmo já visto em todos os modelos da Motorola, simples se for necessário, complexo se assim você o quiser, democrático.

Eu sou um apaixonado por fotografia, seja ela estática ou em forma de vídeo, então gosto muito de explorar as possibilidades da câmera manual, mas confesso que me contentei muito com a simples opção de aumentar ou diminuir a quantidade de luz entrando no sensor do smartphone. Basta clicar sobre o objeto que você quer focar e arrastar para mais ou menos luz. Somente com esta possibilidade, já dá para “preparar” a foto que você vai editar posteriormente. Com editar eu quero dizer valorizar as cores, corrigir o balanço de branco, acrescentar ou retirar luz em áreas específicas.

RECOMENDADO

  • Snapseed: Um top app para editar fotosSMARTPHONES

    Snapseed: Um top app para editar fotos

  • 9 dicas de fotografia com smartphones

Já falamos aqui no Oficina algumas dicas para você se dar com fotografia de smartphone e também já falei do aplicativo que uso para editar minhas fotos. Eles estão relacionados no quadro ao lado. Recomendo a leitura.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *